As obras, a cargo da empresa China Road and Bridge Corporation (CRBC), incluem a construção, numa primeira fase, de uma ponte alternativa para o escoamento do tráfego rodoviário para deixar livre a ponte antiga para os trabalhos.

Dados obtidos pela Reportagem do “notícias” indicam que a causa principal da paralisação das obras se deve ao facto de a maior parte dos trabalhadores se encontrarem retidos na China, para além da necessidade de evitar concentrar muita gente no mesmo espaço.

Fonte da empresa assegurou ao “noticias” que os trabalhos serão retomados depois de a situação epidemiológica melhorar. A reabilitação consiste concretamente na substituição de cabos que suportam várias estruturas da ponte, já em fase avançada de degradação.

A Secretária de Estado na província de Inhambane, Ludimila Magune, que semana passada trabalhou no posto administrativo de Govuro, foi informada da paralisação das actividades na ponte sobre aquele curso de água e reagiu positivamente, pois, como disse, a medida visa proteger os trabalhadores e os utentes da ponte alternativa. de Estradas e pela firma Consultoria Técnica de Obras Públicas Lda (COTOP).